X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

PetCoaching - Cães com qualidade de vida, você com mais confiança

Como diminuir os latidos? [#DesafioPC]

Quem está acompanhando o #DesafioPC nos Stories do Instagram da PetCoaching viu que o primeiro caso que selecionei de uma seguidora da Família PetCoaching foi o da Kamila, com os latidos excessivos da sua Belinha.

Por Carla Ruas dia em Blog

Como diminuir os latidos? [#DesafioPC]
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Para inspirá-los nos desafios que enfrentam com seus cães, trago os principais aprendizados deste caso, falando sobre latidos.

#1 Encontre os ingredientes da receita dos latidos excessivos

É fundamental entender que os latidos não é a receita: é um dos ingredientes, ou seja, nunca analise nenhum comportamento do cão de forma isolada, encontre e compreenda cada ingrediente que rege a vida do seu cão.

Só assim você será capaz de entender verdadeiramente como que ele chegou neste comportamento final. Como? Aqui está:

Rotina de Estimulações: físicas, sociais, exploratórias, olfativas...Aqui entra o Enriquecimento Ambiental e os tópicos que tanto falo na Roda da Qualidade de Vida Canina, a serem inseridos no dia a dia do cão.

Rotina de Relacionamento: como está estruturado o relacionamento entre a família e o cão? Como as interações acontecem?

Você briga e não adianta? Isso é um sinal de má estrutura de relacionamento. Para muitos latidos, a origem pode estar em você, no reforço que oferece.

No caso da Belinha, ficou claro que os latidos “do nada” estavam acontecendo porque dentro da Rotina de Relacionamento era uma forma dela conseguir atenção deles, mesmo que negativa.

Necessidades básicas e específicas do cão: os cães tem, sim necessidades básicas a serem supridas, que vão além de alimentação, carinho e conforto. Muitas destas necessidades estão na Rotina de Estimulações, mas aqui o diferencial é ir além e entender as preferências e necessidades do seu cão.

Tem cães que preferem mais algumas atividades do que outras, por instinto. Outros cães, pela sua fase de desenvolvimento, necessitam de atividades focadas para esta etapa, como no caso da Belinha que precisa de mais atividades sociais por ser ainda filhote e precisar descobrir todos os estímulos para saber lidar melhor com eles.

#2 Pense fora do problema: antecipe, planeje e gerencie!

O ponto fora da curva, onde o adestramento positivo se consolida e que muitos não entendem: não é pensando no que fazer quando o problema está acontecendo que vai te trazer a solução!

A chave é entender o que aconteceu antes dos latidos, compreender quais foram os gatilhos para aquele comportamento começar e saber trabalhar na extinção e dessensibilização dele.

Tenha clareza nas ações que podem te ajudar antes do problema acontecer: de gerenciar o ambiente do cão a mudar a forma como você interage com ele durante o problema. Sempre há diversas maneiras de refletirmos e agirmos sobre o problema antes que ele aconteça!

#3 Seja assertivo, estratégico e objetivo: dê um basta às punições!

Você não tem que viver em função do seu cão, 24h por dia. Você só tem que entender que a dedicação que ele exige é responsabilidade sua e de ninguém mais. Cães sem atividades vão encontrar atividades inadequadas para fazer e é aí que você vai achar ruim quando ele ficar latindo quando o problema REAL é que ele está estressado e entediado porque não tem outras opções de canalizar sua energia!

Aí você vai pensar em punir, algo nada assertivo, muito menos estratégico: se as famosas broncas funcionassem bastaria que você aplicasse pouquíssimas vezes para extinguir o comportamento.

Entenda: se o comportamento continua ele está sendo reforçado e não punido! A punição pode voltar contra você!

Além de gerar outros tantos efeitos colaterais e nos impedir de olhar o cão com o carinho que merece, entendendo suas frustrações, necessidades, medos, etc.

A ideia também não é parar sua rotina: os treinos de comunicação podem ser objetivos e durar 5 minutinhos, os passeios podem ter mais foco na qualidade do que no tempo de duração. O tempo extra do final de semana pode ser estratégico para as atividades sociais. Aquele horário do almoço pode ser assertivo na hora de oferecer a alimentação do cão num formato enriquecido, de brinquedo comedouro.

Aproveitar eventos e situações e incluir nossos cães é o que realmente nos faz integrá-los à família. A tutora da Belinha, a Kamila, está grávida e sugeri que as atividades com a vinda do recém nascido incluam ela: os passeios de banho de sol, as atividades de lazer da família, enfim.

Depoimento: o que a Kamila achou das orientações do #DesafioPC?

Vem conferir aqui o que a Kamila me escreveu depois de colocar em prática os insights do seu caso:

"Diante de toda sua orientação, serviu mais pra mim (nossa família) do que a mudança de comportamento da própria Belinha. Esquecemos que eles são animais, cheios de sentimentos, vontades, energia e claro...um pouquinho de teimosia, mas nada que o reforço/extinção de alguns comportamentos não sejam o suficientes para que possamos melhorar muitas coisas. Mas no caso da Belinha acho que foi muito mais sentimento. Sua fala quando disse "ela ainda está em fase de adaptação" me fez ter um pouco mais de paciência. Que assim como nós estamos nos adaptando a um novo animal, ela também está se adaptando a novos tutores, novo lar, nova rotina e mais importante NOVA EDUCAÇÃO! Após a sua orientação, eu principalmente mudei muito com ela, acolhi mais, interagi mais. Ela está MUITO MAIS CALMA! Não late mais nem a noite antes de dormir e nem no amanhecer do dia. Ela tem nos respeitado mais, quando damos um comando a ela tem nos obedecido mais. Ela é um serzinho assim como o bebê que estou esperando, pois quando nascer todos nós (inclusive a Belinha) iremos nos adaptar a ele. Assim é com a nossa pequena Belinha. Estamos nos adaptando com calma, paciência e muito AMOR! Claro, tivemos no início algumas mudanças, como mudar o ambiente dela dormir, não reforçar o comportamento dos latidos, mas o principal foi tomar a consciência de que AMBOS OS LADOS precisam de adaptação. Agradeço muito a sua ajuda e carinho com a escolha do nosso caso! Obrigada por tudo, Carla! Somos muito gratos a você!"

 

A mudança está no mindset sobre o problema: seja positivo!

 

 

 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Como diminuir os latidos? [#DesafioPC]

Enviando Comentário Fechar :/