PetCoaching

A PetCoaching quer trazer qualidade no relacionamento entre pessoas e cães. Isso significa diminuir as lacunas de comunicação existentes entre as espécies.

X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

PetCoaching - Cães com qualidade de vida, você com mais confiança

#CasosReaisPC: Ansiedade de Separação

Como lidar com um cãozinho que faz xixi de emoção quando chegamos e prevenir a Ansiedade de Separação?

Por Carla Ruas dia em Blog

#CasosReaisPC: Ansiedade de Separação
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

O primeiro #CasosReaisPC vai trazer um assunto muito importante e bastante recorrente: o xixi de alegria que acontece assim que chegamos em casa. Quem veio até nós foi a Rosane Machado, dona da Ninna, a linda filhotinha da foto de 7 meses.

Para falar sobre esse tema, me aprofundei um pouco mais e abordei também a importância de prevenir a Ansiedade de Separação.

O depoimento dela foi:

“Prezados... Minha Ninna tem 7 meses e um problema, que nao sei a soluçao: cada vez que chegamos em casa, ela faz xixi, acho que de emoçao por termos voltado... Mas ela fica um bom tempo assim, fazendo xixi aos pouquinhos, até ela se dar conta de que chegamos mesmo. O QUE FAZER COM ESSA PELUDA, QUE É O AMOR DA CASA?”

Logo depois, conversei um pouco com a Rosane para saber algumas coisas a mais, vejam o resumo dos pontos mais cruciais:

  • É uma “shorkie”, vira-lata mistura de Yorkshire com Shih-Tzu
  • Chegou na casa dela em condições precárias, tinha um pouco mais de 1 mês (pouco tempo de convívio com a ninhada)
  • Tem brinquedos (bolinhas e bichindos de pelucia) que brinca constantemente, mas só com as pessoas da casa (não brinca sozinha).
  • Não gosta da bolinha que solta petiscos, apesar de amar petiscos.
  • Passeia diariamente
  • Está trocando os dentes
  • Geralmente tem alguém em casa, ou seja, raramente ela fica sozinha. E é quando isso acontece, é que o xixi aparece.
  • O xixi aparece também quando sua filha e genro vem visitá-los.

Há dois fatores de sucesso cruciais:

#1 O fator determinante: a pergunta que irá decidir o sucesso do treinamento: Rosane, você e TODOS da família estão preparados para fazer o que for preciso para que a Ninna melhore seu comportamento? Essa resposta parece óbvia, mas na prática, vai exigir muito de vocês.

#2 O fator persistência: a paciência e a consistência do treinamento: Antes da Ninna melhorar, é bem possível que o comportamento tende a piorar, até que realmente tenha progresso. Por isso, é preciso persistir nos treinos. Antes do cão abandonar determinado comportamento, ele passa a tentá-lo com mais recorrência para ver se isso pode funcionar.

Só se a família for muito persistente é que o cão entenderá que aquele comportamento não é desejado, independente da intensidade que o cão faça (por exemplo: aumentar o latido de pedido de comida até que pare de latir de vez).

Vamos ao desafio?

A solidão não é algo que eles gostem naturalmente, mas vamos aqui trazer algumas técnicas que vai fazer com que a Ninna encare isso de forma mais amistosa, sem tanta euforia na chegada de vocês.

Atitude #1: a hora da saída

Como você me confessou “eu falo pra ela que já volto”. Ela não entendeu o que isso significa, mas entendeu sua expressão corporal e sentiu sua preocupação. Antes de irmos embora, se demonstramos tristeza porque o cão vai ficar sozinho, ele irá "compartilhar" esse sentimento. Cães entendem a nossa linguagem corporal, não nossas palavras.

Você pode falar que vai sair rapidinho, mas a unica coisa que ela entende seria mais ou menos assim “alguma situação ruim está por vir, ela está demonstrando preocupação excessiva, olhe a cara dela de tensão e tristeza. Isso não é nada bom”. Antes de sair, se comporte naturalmente, não faça muito agrados, não olhe com cara de dó. Tenha firmeza neste momento para se comportar de forma natural, como deve ser.

Treino da Atitude #1: simulação

Simule a rotina da saída de casa. Pegue as chaves, calce os sapatos, e saia. Feche a porta e, em seguida, volte. Você estará ajudando a Ninna a entender que essa rotina de sair de casa nem sempre será por tanto tempo e você também conseguirá praticar a naturalidade deste momento. Lembre-se: Envolva toda a família, hein? Faça todo mundo entrar nesse treino.

Atitude #2: a hora da chegada

A mesma coisa da Atitude #1: comporte-se com naturalidade. Não trate o momento com euforia e carinhos excessivos. Alerte sua filha e seu genro, eles devem estar aumentando a excitação dela, por isso ela faz xixi quando eles chegam.

Não faça contato visual com ela ainda. Primeiro entre em casa, feche as portas, entre no seu quarto, tire os sapatos, vá beber uma água, espere 5 minutos (seja firme e forte, a carinha dela será de amassar o coração!). Após isso, dê o carinho a ela. Isso é importante porque ela pode achar que é quando vocês chegam é que ela ganha mais carinho e, por isso, fica tão excitada a ponto de fazer xixi.

Se vocês distribuirem a atenção melhor, sem dedicar atenção especial a chegada de vocês, mais calma ela ficará.

Treino da Atitude #2: aproveita a simulação da Atitude #1

Já que você está levando a família toda pra sair de casa, para simular as saídas, aproveite para tomar um sorvete com eles e volte. Volte de forma natural, pois afinal vocês não ficaram muito tempo longe de casa. Vai ser mais fácil aos pouquinhos vocês se acostumarem a não dar tanta atenção a ela na chegada.


Atitude #3: Ensine a Ninna a ser independente com vocês em casa

A Rosane afirmou que a Ninna gosta de brincar só com as pessoas da casa. Devo imaginar que ela deve seguir as pessoas pela casa, não ficando sozinha nenhum momento.

Ensine a Ninna como que pode ser bom brincar sozinha. Deixe o cheirinho de vocês nos brinquedos, estimule a brincar, mas deixem ela ficar mordendo os brinquedos sem que alguém esteja por perto. Aproveite a troca dos dentes e compre brinquedos macios para ela ir mordendo e aliviar a dor nos dentinhos. Ela tem que ir aos poucos vendo que a vida na família de vocês pode ser muito boa, sem estar sempre colada em vocês.

Treino da Atitude #3: novos hábitos

Está no banheiro e a Ninna tá te seguindo? Feche a porta do banheiro, fique lá um tempo e saia como se nada tivesse acontecido. Entrou no quarto? Feche por alguns minutinhos a porta, depois abra de novo.

Sabe a bolinha de petiscos que você disse que ela odeia? Veja se não está muito difícil do brinquedo despejar os petiscos, deixe de um jeito mais fácil para ela. Dê petiscos a ela só por ela ter encostado no brinquedo, até ela ver que é bem legal.

São dicas simples e possíveis de você já começar a praticar com a Ninna. Lembre-se que isso leva tempo, meses, para que ela realmente aprenda. Tenha paciência e persista, porque vai dar certo!

Não podemos avaliar se ela tem ou não ansiedade de separação, mas podemos já evitar que o quadro dela evolua. Envolva a família toda, hein?!

A dica que eu deixo para todos é: comporte-se com naturalidade que ele irá espelhar-se na sua tranquilidade.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para #CasosReaisPC: Ansiedade de Separação

Enviando Comentário Fechar :/